• (42) 3025-7251
  • contato@erickluiz.com.br

OPEN BANKING: Tudo sobre o Open Banking, a revolução do sistema bancário e financeiro

OPEN BANKING Tudo sobre o Open Banking, a revolução do sistema bancário e financeiro

OPEN BANKING: Tudo sobre o Open Banking, a revolução do sistema bancário e financeiro

Assim como foi com o PIX, os bancos já estão fazendo propaganda sobre o open banking.

Mas afinal o que é o Open Banking, o que muda na prática para você?

O que é open banking?

Como o próprio nome já diz, open banking seria um banco aberto ou sistema bancário aberto. Ele é um projeto do banco central que visa o compartilhamento dos dados cadastrais e histórico financeiro entre as instituições financeiras.

Permitindo assim que o consumidor tenha mais liberdade de escolha entre bancos, financeiras e corretoras.

Em outras palavras é um sistema que permite que as instituições financeiras troquem dados de seus clientes entre si.

E nesse momento você deve estar pensando “Meu Deus, eu não quero que compartilhe os meus dados”.

Calma, antes de mais nada é preciso dizer que esse compartilhamento só vai acontecer com o seu consentimento e exatamente por isso que os bancos devem começar a fazer campanhas de marketing, assim como aconteceu com o PIX.

É importante dizer também que o sistema é totalmente seguro, como já acontece com os dados das operações bancárias.

No Reino Unido por exemplo, o open banking já é uma realidade, já os Estados Unidos, Austrália, Japão, União Europeia e Hong-Kong estão estudando como implementar esse sistema.

Para você entender o open banking na pratica, imagine a seguinte situação, você possui conta a vários anos em um determinado banco A.

Esse banco possui todo o seu histórico de pagamentos de contas, recebimentos, empréstimos e financiamentos. E ao longo dos anos, por esse bom relacionamento, o banco foi fornecendo alguns benefícios como taxas mais baixas ou mesmo aumento do seu limite.

Digamos que você queira sair desse banco e migrar para o banco B, até então para esse novo banco você seria um novo cliente iniciando o seu histórico do zero e por esse fato, provavelmente não teria nenhum benefício.

Basicamente o banco A era o dono dos seus dados. A ideia do open banking é que você passe a ser o proprietário dos seus dados e possa levar eles consigo para outras instituições, sem ter que começar um relacionamento do zero.

Mas isso não servirá somente para abertura de contas, voltemos ao nosso exemplo. Você continua sendo cliente do banco A e quer financiar um carro, porém gostaria de saber qual a taxa no banco B para o seu perfil e histórico.

O banco B solicita o seu histórico para o banco A onde você possui conta e autorizou o compartilhamento de dados.

Munido do seu histórico, o banco B consegue fornecer uma taxa mais baixa para você e sem a necessidade de abertura de conta nele.

Como essa integração é bastante complexa, o banco central dividiu a sua implantação em 4 fases.

A Fase 1:

Começou no dia primeiro de fevereiro, com as instituições disponibilizando ao público informações sobre seus canais de atendimento e características de seus produtos e serviços.

Nessa fase não é compartilhado nenhum dado ainda.

A Fase 2:

Começa no dia 15 de julho. Nessa fase os clientes poderão compartilhar os seus dados cadastrais, informações sobre transações de suas contas, cartões de crédito e produtos contratados.

Essa fase podemos dizer que é o início do open banking na pratica, os clientes que aderirem, já poderão usufruir dos benefícios do open banking.

A Fase 3:

Começa no dia 30 de agosto. Nessa fase além dos dados já compartilhados na fase 2, passarão a ser compartilhados também os dados de transações de pagamento.

E a fase 4:

Começa no dia 15 de dezembro, nela os clientes poderão compartilhar as suas informações de operações de câmbio, investimentos, seguros e previdência complementar.

Mas o open banking é seguro?

Como eu já disse anteriormente, esse compartilhamento de informação só irá ocorrer com a sua autorização.

E essa autorização tem uma validade de 12 meses, ou seja, a cada 12 meses você deve renova-la se quiser continuar compartilhando os seus dados.

Já em matéria de segurança de sistema, o open banking usará a mesma tecnologia que já é empregada na comunicação das transações bancárias. Inclusive toda a comunicação do sistema é regulamentada pelo banco central.

Quais as vantagens do open banking?

O open banking trará inúmeras vantagens para o consumidor, como:

Maior liberdade e autonomia:

Com o cliente sendo o dono dos seus dados, o processo de troca de conta ou mesmo só a contratação de algum serviço, como um financiamento em outra instituição, passa a ser menos burocrático e mais rápido, afinal os seus dados cadastrais são enviados de uma instituição para a outra, podendo até eliminar a necessidade de envio de documentos.

Essa agilidade do processo aumenta o leque de opções que o consumidor passa a ter no momento da contratação de algum serviço.

Além disso será muito fácil para o consumidor poder aproveitar o melhor de cada intuição, podendo ter uma conta corrente em um banco, um empréstimo em outro e um seguro em um terceiro.

Aumento da concorrência:

Com a possibilidade do acesso aos seus dados por outras instituições, elas por sua vez poderão oferecer melhores taxas e maiores benefícios, gerando um aumento da concorrência no setor e por sua vez reduzindo diretamente os custos para o consumidor.

Acesso unificado:

Outra vantagem do compartilhamento dos dados é possibilidade de se poder acessar em um único aplicativo os dados de todas as instituições que você é cliente.

Por exemplo, digamos que você tenha investimentos em mais de uma corretora, será possível ver em um único aplicativo todos os seus investimentos, eu sei que até existem alguns aplicativos que fazem integração com algumas corretoras, mas agora essa integração será com todas.

Redução dos custos:

Não é só o cliente que sai ganhando com a diminuição da burocracia, os bancos também terão uma grande diminuição dos seus com ela e por sua vez parte dessa redução deve ser repassada para os seus clientes.

E o que os bancos ganham com isso?

Não é só o consumidor que sai ganhando com o open banking, os bancos serão beneficiados principalmente com a possibilidade de conquistar novos clientes, afinal com o acesso aos seus dados eles poderão oferecer produtos mais agressivos atraindo assim novos clientes para a sua base.

Resumindo:

O open banking já é uma realidade, ainda nesse ano todas as suas fases estarão implantadas, agora você não é obrigado a aderir a ele de imediato, se você ficar com um pé atrás, não tem problema, você pode aguardar e só aceitar o compartilhamento dos seus dados quando estiver totalmente confortável com isso.

O importante é você entender as suas vantagens e benefícios e ter o máximo de cuidado ao aceitar o compartilhamento dos seus dados, conheça muito bem as instituições que você libera esse compartilhamento e as que você estará contratando novos serviços.

Erick Luiz

Deixe sua mensagem