• (42) 3025-7251
  • contato@erickluiz.com.br

Arquivo da tag Fundos de Investimentos

MELHORES INVESTIMENTOS PARA 2021 - Mercado financeiro e oportunidades

MELHORES INVESTIMENTOS PARA 2021 – Mercado financeiro e oportunidades

Após o turbulento ano de 2020, finalmente chegamos a 2021.

E como primeiro post do ano, nada mais justo do que fazermos algumas previsões do que pode acontecer para a economia do mundo, do nosso país e o que você deve ficar de olho em matéria de investimentos.

O ano de 2020 nos mostrou que fazer previsões para um ano é um verdadeiro desafio, afinal quem imaginaria tudo o que iria acontecer não é mesmo?

Mas imaginando que o pior já passou e que 2021 possa ser no mínimo mais tranquilo que 2020, vamos analisar os pontos que o investidor deve estar ligado em 2021 e quem sabe até possíveis oportunidades.

Começando pelo cenário político global. Muitos países já começaram a vacinar as suas populações, esse vai ser processo que demandará ainda tempo, especialmente porque a maioria das vacinas precisa de duas doses.

Com o passar do tempo e mais países conseguindo vacinar uma boa parte de sua população, as coisas devem começar a voltar à normalidade, fazendo o consumo voltar a crescer.

Uma grande parte dos países precisou se endividar para bancar políticas de auxílio a sua população durante os momentos críticos da pandemia. Isso poderá sim ser um problema a nível global, especialmente por diminuir as armas que os países teriam para utilizar em estímulos na retomada das suas economias.

Na Europa ainda tivemos a conclusão da saída do Reino Unido da União Europeia, apesar de no fim de toda a novela, o bloco ter se entendido com o Reino Unido, ainda não sabemos como isso irá impactar na economia de ambos, mas já é possível prever um impacto negativo para o Reino Unido.

brexit

A China sem dúvida sai fortalecida dessa pandemia, o que pode voltar a impulsionar as commodities durante o ano de 2021.

Com a vitória de Joe Biden nos Estados Unidos, os atritos entre os dois países devem diminuir, beneficiando ainda mais a economia chinesa.

Devemos ficar de olho em empresas do setor de commodities e exportadoras de alimentos.

E por falar em Estados Unidos, não era esperado, mas aconteceu o partido democrata conseguiu maioria no senado. Com a câmara e o senado democratas, Biden deve conseguir aprovar suas pautas mais facilmente.

Com isso as empresas de tecnologia podem ser afetadas pelo aumento dos impostos, por outro lado as políticas de aumento de consumo podem beneficiar os outros setores da economia americana.

Além disso deve haver um fluxo de investimentos estrangeiros ingressando em países emergentes, fazendo com o que o dólar caia no mundo todo. Isso inclusive aqui no Brasil.

E por falar em Brasil, o ano aqui promete ser agitado. Em fevereiro temos a eleição para a presidência da câmara e do senado. O que pode determinar o andamento de pautas importantes como as tão desejadas reformas administrativas e tributarias.

Mas o maior problema a ser resolvido, sem dúvida é a questão fiscal, com menor arrecadação e um grande aumento dos gastos devido à crise de 2020, sobrou para 2021 pagar essa conta, as reformas seriam uma saída, mas o futuro delas ainda é incerto.

Fica aqui um belo ponto de interrogação de como nosso governo irá contornar essa situação.

Outro possível problema é como a economia vai reagir com o fim do auxílio emergencial e o auxílio para a manutenção dos empregos, ainda é incerto que a economia possa começar a criar empregos já no início do ano.

Em 2020 pudermos ver a taxa Selic em históricos 2% ao ano, isso em 2021 deve mudar, com o aumento da inflação especialmente dos alimentos, é bem provável que teremos um ou mais aumentos da Selic durante o ano.

Lógico que não veremos tão cedo uma taxa de 2 dígitos como era no passado, até porque o governo utiliza a Selic como um estimulo ao consumo, o que é essencial para a retomada da nossa economia.

Uma taxa, mais elevada, poderia fazer com que investidores de fundos imobiliários olhassem para a renda fixa, mas para isso a Selic precisaria de um aumento bem expressivo. O que não deve acontecer.

Agora falando de investimentos.

Sim a renda fixa continuará pagando pouco, mesmo com um possível e provável aumento da Selic, ele não deve ser suficiente para tornar a renda fixa interessante novamente.

Agora o aumento da concorrência entre as fintechs deve gerar oportunidades como o que já vimos em 2020, de retornos na casa dos 210% do CDI.

Como a sua reserva de emergência deve estar em um investimento com liquidez imediata e rentabilidade garantida, você deve ficar atento a possíveis oportunidades entre essas instituições.

Em matéria de fundos imobiliários, vale destacar que o mercado continuará aquecido em 2021 e com o IFIX ainda não tendo se recuperado da queda, abre espaço para boas oportunidades. Dando destaque para os fundos de hotéis e shoppings, que mais foram impactados durante a pandemia.

ifix

Muitos fundos desses setores ainda estão descontados e vale a pena o investidor olhar com atenção se ele acredita numa retomada da economia durante o ano. Agora isso vai depender também de quando teremos uma vacinação efetiva aqui no Brasil.

Já sobre o mercado de ações, abrimos o ano com o índice Bovespa no topo histórico, mas nem todos os setores já se recuperaram do tombo de 2020.

ibov

Os setores de commodities e exportação de alimentos como já dito anteriormente, serão beneficiados, mas uma retomada da economia pode também trazer uma recuperação para os setores de aviação e turismo que ainda estão patinando para se recuperar.

Outro setor que ainda não voltou aos patamares de 2019 é o setor bancário, com a diminuição dos pagamentos de dividendos, muitos investidores abandonaram o setor, mas isso deve mudar com a retomada dos pagamentos mais vigorosos.

Além disso, o grande número de IPOs visto em 2020, que é quando uma empresa abre o seu capital na bolsa, deve se repetir em 2021. A bolsa brasileira já conta com uma lista de empresas interessas em abrir o seu capital durante esse ano.

E ainda temos o setor de fundos de investimentos, dentre os diferentes tipos de fundos, eu destaco os multimercados que possuem uma boa liberdade para fazer uma estratégia tanto pensando em proteção de possíveis quedas do mercado, como de ganhos com possíveis altas.

Inclusive se você não conhece esse tipo de investimento, eu fiz um post falando tudo sobre fundos de investimentos: FUNDOS DE INVESTIMENTOS – Tudo o que você precisa saber.

E por fim temos as criptomoedas, com destaque para o bitcoin, que se valorizou cerca de 419% em 2020, ele pode continuar subindo mais esse ano?

bitcoin

 

Pode e até é interessante você ter uma parcela mínima de sua carteira em criptomoedas, mas é importante dizer: Cuidado para não entrar nele no final da festa, assim como já aconteceu no passado, ele pode também despencar, então se você acredita que ele irá continuar subindo, ok pode investir, mas coloque uma parcela mínima da sua carteira nele.

O ano de 2021 tem tudo para ser um ano de retomada, mas isso não quer dizer que não teremos fortes emoções pela frente, principalmente em nosso país com os problemas fiscais pela frente e uma vacinação ainda incerta. É exatamente por isso o investidor deve ficar atento as mudanças do mercado e sempre diversificar a sua carteira.

Espero que no final desse ano o vídeo possa ser sobre como o ano foi bom para o mercado e para os investimentos.

FUNDOS DE INVESTIMENTOS – Tudo o que você precisa saber.

Você sabia que com pouco dinheiro é possível investir nos melhores investimentos do mercado? E melhor, você nem precisa saber escolher entre um investimento e outro, você terá uma equipe de analistas trabalhando todos os dias para fazer isso por você.

Eu sei que pode parecer até mentira, mas existe sim esse tipo de investimento.

Conheça os Fundos de Investimentos.

Imagine a seguinte situação: Joãozinho muito esperto, trabalha duro todos os dias, ele passa a tomar decisões mais assertivas sobre os seus gatos, realizando compras somente quando necessário e assim Joãozinho começa a ter dinheiro disponível para investir.

Joãozinho já viu em suas redes sociais que a poupança não vale a pena e que a bola da vez é a bolsa de valores! Mesmo sem conhecimento nenhum a respeito do que é uma ação ou mesmo ter investido em outros investimentos até então, Joãozinho resolve comprar ações de empresas que ele ouviu falar que iriam multiplicar o seu valor em poucos dias.

Tomado pelo sentimento da ganancia e achando que vai ser o próximo Warren Buffet Joãozinho colocou todas as suas economias nessas empresas, passados alguns dias, ele observa que suas ações caíram pela metade do preço, o desespero bate, Joãozinho vende todas as suas ações e decide nunca mais investir, afinal ele passa achar que bolsa de valores é um casino.

Isso parece brincadeira, mas acontece todos os dias, pessoas começam a investir sem conhecimento nenhum e acabam se frustrando com perdas significativas de patrimônio por terem realizado decisões ruins.

Se você quer começar a investir e não possui conhecimento nenhum, a bolsa de valores não é para você, é preciso antes de mais nada investir tempo e talvez até dinheiro em conhecimento e entender a lógica do mercado.

Agora se você tem medo de começar a investir exatamente por ver casos como o do Joãozinho ou mesmo se você não possui tempo para estudar sobre os mais diversos tipos de investimentos e até as empresas que estão listadas na bolsa de valores.

E além disso com a renda fixa pagando menos que a inflação e o seu dinheiro parado no seu banco ou em sua conta digital perdendo poder de compra todos os dias.

O mais indicado para você é investir através de fundos de investimentos.

Mas o que é um fundo de investimento?

Fundos de investimentos nada mais são que uma forma de aplicação financeira que reúne capital de vários investidores, aqui chamados de cotistas e é administrado por um gestor. Dentro da carteira desse fundo existe uma cesta de ativos que podem ser títulos de renda fixa, moedas estrangeiras, ações de empresas do brasil e do exterior, derivativos, commodities e até mesmo cotas de outros fundos.

Podemos dizer que um fundo de investimento é semelhante a um condomínio, onde cada cotista seria dono de uma casa e paga uma taxa para a administração do mesmo.

Sozinho demandaria muito dinheiro para que uma pessoa pudesse ter uma casa com piscina, quadra de esportes, spa, sauna e etc. Mas através do condomínio ela pode ter acesso a tudo isso.

Com o fundo de investimento acontece a mesma coisa, sozinho para o investidor ter acesso a vários investimentos ele precisaria de uma quantidade elevada de dinheiro e além disso para ele tomar as melhores decisões ele precisaria de tempo e conhecimento.

Então através do fundo de investimento é possível aplicar em diversos tipos de produtos financeiros, com diferentes graus de rentabilidade e risco, sem precisar ter muito dinheiro e o melhor com alguns dos maiores profissionais do Brasil realizando a gestão desses ativos.

E assim como em um condomínio o fundo de investimento possui um regulamento ondes estão estabelecidas suas regras de funcionamento, como aplicação, resgate, custos e etc.

Em outras palavras podemos dizer que o gestor reúne dinheiro de vários investidores diferentes, com esse dinheiro em mãos ele escolhe os melhores investimentos possíveis de acordo com o objetivo e estratégia do fundo e após a aplicação ele passa a realizar o acompanhamento diário desses investimentos tomando as decisões necessárias para o melhor desempenho do fundo.

E por terceirizar esse trabalho para o gestor você paga algumas taxas como administração e performance que já são descontadas no rendimento do fundo.

Além disso, como o montante do dinheiro é alto, chegando a casa dos bilhões de reais, o fundo tem acesso a investimentos com maiores rentabilidades que não estão disponíveis para quem está começando.

E quem são os gestores de fundos de investimento?

Eles geralmente são profissionais credenciados a CVM com vasta experiência de mercado, além disso geralmente o fundo conta com uma equipe de analistas responsáveis por diferentes setores.

Eu costumo dizer que quando se adquire um fundo de investimento, na verdade se está contratando um gestor para cuidar de seu patrimônio.

Por isso a escolha do gestor é um dos pontos mais importantes na hora de se escolher um fundo, escolhendo o gestor, você estará concordando com a estratégia que ele segue para gerir o seu dinheiro.

E o que são as cotas de um fundo de investimento?

A cota é a menor parte possível de um fundo de investimentos. Quando se compra cotas de um fundo, se está comprando pedaços dele. Os rendimentos e taxas são proporcionais a número de cotas que o investidor adquiriu.

Quais os tipos de fundos de investimentos?

Existem diversos tipos de fundos de investimento, de modo geral podemos classificá-los em:

Fundos de renda fixa: são os fundos que direcionam no mínimo 80% dos seus investimentos em ativos de renda fixa pré-fixados ou pós fixados.

Os 20% restantes podem ser investidos em derivativos para aumentar a rentabilidade do fundo.

Aqui entram os fundos de curto prazo também, geralmente com alta liquidez, que são utilizados de modo geral para reserva de emergência.

Os fundos de renda fixa tentam ganhar do CDI e são indicados para o perfil conservador, principalmente para aqueles que buscam rendimentos sem abrir mão da segurança.

São indicados também para investimentos de curto prazo, por exemplo, quero trocar de carro daqui 1 ano, eu posso deixar o meu dinheiro em um fundo de renda fixa que de modo geral pagam mais que o tesouro direto ou uma conta digital e quando eu precisar do dinheiro eu simplesmente faço o pedido de retirada.

Temos também os fundos de renda variável ou ações:

Esses fundos aplicam a maior parte do patrimônio em ações de empresas, consequentemente os seus resultados tem uma maior volatilidade, podendo ter resultados negativos e por outro lado ganhos bem expressivos ao longo do tempo.

Existem 2 grandes grupos de fundos de ações, os de gestão ativa e os de gestão passiva. Dentro desses 2 grandes grupos existem as categorias que refletem as principais estratégias adotas pelos fundos.

Dentre elas podemos citar fundos de dividendos, internacionais, setoriais, long short, long biased, long only, small caps.

Esse tipo de fundo de investimento é indicado para quem quer se expor a renda variável buscando maiores ganhos e aceitando a variação do curto prazo, é uma forma de se investir em ações sem necessariamente precisar acessar a bolsa de valores ou entender como ela funciona.

Outros fundos de investimentos bem comuns no mercado são os multimercados.

De modo geral, podemos dizer que seria uma mistura dos fundos de renda fixa com renda variável.

Nesse caso o gestor do fundo de investimento possui uma gama maior de possibilidades que as demais categorias

Esses fundos de investimentos costumam ter uma carteira bem diversificada tendendo a performar melhor que os fundos de renda fixa, mas com menores riscos que os fundos de ações.  Seria um meio termo entre as 2 categorias.

Eles são indicados para os investidores que aceita um certo nível de volatilidade se tiver em troca maiores retornos.

Existem ainda os fundos cambiais, que são compostos por investimento em moeda estrangeira.

Esses fundos de investimentos servem como proteção de carteira e diversificação internacional.

Temos também os fundos internacionais, que além de moedas podem investir em outros ativos dos mais variados países.

E por fim temos os fundos imobiliários.

Conhecidos como FIIs são fundos que investem no setor imobiliário e diferentemente dos anteriores que eu citei são comprados diretamente na bolsa de valores, mas a respeito deles eu vou deixar post que eu fiz falando somente sobre fundos imobiliários.

O que são Fundos Imobiliários e como ganhar dinheiro

O fundo de investimento é seguro?

Os fundos de investimentos são regulamentos pela CVM, além disso eles passam por auditorias periódicas.

Como funciona o Imposto de renda em fundos de investimentos?

Para os fundos de renda fixa e multimercado a alíquota é cobrada de forma regressiva de acordo com o tempo que se mantem o dinheiro aplicado começando em 22,5% e terminando em 15%. Esses fundos possuem um sistema de antecipação de imposto chamado come-cotas, ele é acontece automaticamente a cada 6 meses sendo deduzidas sobre as cotas que o investidor possui.

Se nesse meio tempo o investidor pede o resgate do investimento, o imposto de renda será deduzido no resgate, proporcionalmente ao tempo, pós pagamento do come-cotas.

Já os fundos de ações não possuem come-cotas, o imposto é deduzido somente no momento do resgate e sua alíquota é de 15%.

Quais são as taxas que os fundos de investimentos possuem?

Os fundos de investimento possuem 3 tipos de taxa.

A taxa de administração, que é cobrada para custear a gestão do fundo, seria o valor que descontado do patrimônio total para remunerar o gestor e sua equipe.

A taxa de performance, que é uma espécie de bônus toda vez que o fundo ultrapassa o seu benchmark.

Eu não considero ela exatamente ruim, pois se o fundo está rendendo mais do que o prometido, vejo com bons olhos que o gestor seja remunerado pelo seu bom desempenho.

E você deve estar se perguntando o que é benchmark, no caso dos fundos é uma referência que determina a rentabilidade de seus ativos. O CDI por exemplo é comumente usado por fundos de renda fixa.

Mas voltando as taxas, por fim temos a taxa de saída. Se aplicável é a taxa cobrada caso o investidor queira sair do fundo antes do seu prazo estabelecido.

Aqui entramos no que é liquidez dos fundos de investimentos.

Liquidez é quando você pode fazer a retirada do seu capital de dentro do fundo, existem fundos com liquidez diária até fundos com 60 dias ou mais, isso significa que se você fez o pedido de resgate do fundo hoje, depois de X dias o dinheiro estará na sua conta.

Quais as vantagens em se investir em fundos de investimentos?

Podemos citar como vantagens a gestão profissional, dificilmente o investidor que está começando terá o conhecimento e tempo necessário para gerir de forma correta os seus investimentos se estivesse fazendo por conta própria.

A diversificação, mesmo com pouco dinheiro como o fundo é composto de uma série de ativos, você estará investindo em todos esses ativos.

A praticidade, é muito mais rápido e pratico investir em um fundo do que gerenciar vários ativos.

O imposto de renda cobrado direto na fonte é outra facilidade, tendo em vista que você não precisará se preocupar com geração e pagamento de DARF.

A diversidade, existem centenas de fundos de investimento, cada um com uma estratégia diferente, basta você encontrar a que se encaixa com o seu perfil.

A acessibilidade: Existem fundos que você pode começar investindo apenas com 100 reais. E com esses 100 reais você já tem acesso a toda a carteira de ativos que o fundo tem.

E quais as desvantagens de se investir em fundos de investimentos?

Como única desvantagem podemos citar as taxas, apesar que se o fundo entrega o prometido e desempenha bem, isso não é exatamente uma desvantagem, mas se você investisse nos mesmos ativos que o fundo investe seguindo a mesma estratégia, você não teria esse custo, tudo vai depender do seu conhecimento e tempo disponível.

Eu poderia até citar que o fato de você não poder interferir nas escolhas do fundo seria uma desvantagem, mas veja que a essência do fundo é exatamente você terceirizar essa gestão.

Qual o melhor fundo de investimento?

Não existe o melhor fundo de investimento. Existe o mais adequado ou os mais adequados para o seu perfil e seus objetivos.

Por exemplo se você não aceita riscos, fique longe dos fundos de ações.

Se o objetivo com o fundo é para uma reserva de emergência, você precisa buscar um com liquidez diária.

Se você quer aumentar os seus ganhos e investir na bolsa sem precisar estudar o mercado os fundos de ações são mais indicados.

Agora o recomendado é sempre diversificar os seus investimentos entre vários fundos de investimentos de diferentes tipos, uma carteira com por exemplo alguns fundos de renda fixa, alguns fundos multimercado e alguns fundos de ações é uma carteira bem balanceada. Logicamente que tudo depende de investidor para investidor.

Existem ainda ferramentas na web que comparam o desempenho entre fundos de investimento, apesar de rentabilidade passada não ser garantia de rentabilidade futura eu indico para você sempre olhar o desempenho dos fundos nas crises, como eles encararam os momentos de turbulência no mercado.

Como invisto em um fundo de investimento?

Através da sua corretora de valores, cada corretora tem em seu portfolio uma seleção de fundos de investimentos, algumas corretoras podem ter mais, outras menos, alguns fundos podem ser encontrados em uma e em outras não, então o primeiro passo para se escolher um fundo, é analisar quais as opções que tem em sua corretora.

Sendo assim os fundos de investimento são uma aplicação financeira bastante simples e acessível a todos os investidores. Você encontra fundos com aplicação mínima de 100,00 reais.

Os fundos de investimento são indicados para quem está começando, não possui tempo ou conhecimento para acompanhar o mercado financeiro e gerir os seus investimento, como forma de diversificação de carteira ou mesmo para seguir a estratégia de um gestor.

O mais importante é que você veja bem o histórico do fundo de investimento, o que ele promete, quem é seu gestor, analise o prospecto e encontre os fundos de investimentos que mais se adequam ao seus objetivos e perfil de investidor.

Lembrando que você deve também diversificar os seus investimentos em mais de um fundo de investimento e de diferentes tipos e estratégias.

Assim você garantirá bons rendimentos e com segurança, não exigindo tanto acompanhamento da sua parte.